Ausência

Foi um longo período de ausência por aqui.

Em partes, pois estava com preguiça de escrever, ou não tinha ideias, ou quando tinha, achava que que precisava de fotos para acompanhar o assunto e aí a preguiça era de tirar as fotos.

Também estou dividindo meu tempo com artigos quinzenais no portal Sala de Aula Criminal (recomendo!).

Além disso, uma outra ausência influencia na minha.

Meu pai faleceu há cerca de um mês e meio, e ainda me parece muito recente.

As rápidas conversas, as perguntas sobre computador, as vezes em que ele questionava se podia pegar emprestado meu carro, a informação de quem havia ganhado a Fórmula 1… e a foto da Lili, aquela foto da Lili que eu, quase de última hora, lembrei de levar na mochila para que ele pudesse vê-la, pois estava na UTI há um dia e dizia que estava com saudades.

E talvez até ele pudesse imaginar que seria a última vez em que a veria. E a última em que veria a mim também.

Mas não há do que se reclamar. Depois de tudo isso, o que me resta é agradecer.

Agradecer por ter passado tanto tempo ao meu lado, por brigar e me encher o saco, por me dar tantas caronas e me deixar, às vezes, colocar um CD meu pra escutar enquanto viajávamos, por não bancar minha formatura e deixar eu me virar pra conseguir pagar sempre em dia, por se animar a ir almoçar no Bar do Alemão, pela picanha nos meus aniversários, por ser meu cúmplice quando eu queria um cachorro,… enfim, são muitas coisas e, por menores que sejam, sempre terão um espaço especial na minha memória.

Agradecer a tanta gente que apareceu naqueles dias. A todas as mensagens, recados no Facebook, lembrança dos colégios em que ele deu aula, e à presença de cada um, que fez com que eu percebesse que a memória do meu pai vai continuar viva durante um bom tempo ainda.

E agradecer a Deus, por, de alguma forma, me fazer saber que meu pai estava satisfeito com sua vida. E feliz (mesmo que não passasse um dia sem reclamar de algo :D)

Pois essa é a forma mais tranquila de se despedir.

E os momentos alegres sempre vão ficar.

Olhando pra trás pra ver o que eu estava fazendo, enquanto ele caminhava assobiando, numa das últimas vezes em que o convenci a sair de casa e passear no condomínio (:

Tudo o que eu escrevi parece pouco comparado com a vontade de falar e relembrar.

Mas acho que uma boa forma de finalizar é com algumas fotos de flores, que eram um dos tipos de fotografia de que ele mais gostava. E essas eu tirei enquanto saímos para fotografar juntos, uma última vez.

 

 

 

 

 

Anúncios

5 comentários sobre “Ausência

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s